domingo, 24 de outubro de 2010

Por que palavras?

Um monge aproximou-se de seu mestre - que se encontrava em meditação no pátio do Templo à luz da lua - com uma grande dúvida:

"Mestre, aprendi que confiar nas palavras é ilusório; e diante das palavras, o verdadeiro sentido surge através do silêncio. Mas vejo que os Sutras e as recitações são feitas de palavras; que o ensinamento é transmitido pela voz. Se o Dharma está além dos termos, porque os termos são usados para defini-lo?"

O velho sábio respondeu:" As palavras são como um dedo apontando para a Lua; cuida de saber olhar para a Lua, não se preocupe com o dedo que a aponta."

O monge replicou: "Mas eu não poderia olhar a Lua, sem precisar que algum dedo alheio a indique?"

"Poderia," confirmou o mestre, "e assim tu o farás, pois ninguém mais pode olhar a lua por ti. As palavras são como bolhas de sabão: frágeis e inconsistentes, desaparecem quando em contato prolongado com o ar. A Lua está e sempre esteve à vista. O Dharma é eterno e completamente revelado. As palavras não podem revelar o que já está revelado desde o Primeiro Princípio."

"Então," o monge perguntou, "por que os homens precisam que lhes seja revelado o que já é de seu conhecimento?"

"Porque," completou o sábio, "da mesma forma que ver a Lua todas as noites faz com que os homens se esqueçam dela pelo simples costume de aceitar sua existência como fato consumado, assim também os homens não confiam na Verdade já revelada pelo simples fato dela se manifestar em todas as coisas, sem distinção. Desta forma, as palavras são um subterfúgio, um adorno para embelezar e atrair nossa atenção. E como qualquer adorno, pode ser valorizado mais do que é necessário."

O mestre ficou em silêncio durante muito tempo. Então, de súbito, simplesmente apontou para a lua.

domingo, 17 de outubro de 2010

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Educação.

Eu nem conhecia esse tal Felipe Neto, como diz meu amigo Bagik, estou velho.
Mas gostei desse vídeo dele. Não é a sétima maravilha, ou algo inédito o que ele descobriu e diz no vídeo, mas serve de aviso aos jovens, a você, a mim, a todos dezte-paiz.

domingo, 22 de agosto de 2010

Vergonha.



Pior do que está não fica???

Tenho vergonha... muita vergonha de assistir ao programa eleitoral.

Se o Serra mostra o estado de SP todo bonitão, pavimentado, crianças alegres supernutridas nas escolas, hospitais brilhando de limpinhos, policiais sorridentes e amáveis, por que eu ainda sinto vergonha de ver o débil do Eymael com sua insistência secular em se candidatar?

Se o Lula/Dilma/Zé Dirceu, mostra o país com portos abarrotados de navios carregados, imensas plantações verdinhas verdinhas, linhas de produção a todo vapor, nordestinos se abraçando, índios com sinceros sorrisos, por que eu me envergonho quando vejo o Aerotrem do Levy Fidélix?

Cadê o pessoal dos cortiços? E as barracas do MST? Os drogados sumiram? Aborto? Qual candidato fala de aborto, favorável ou contra? Ninguém mais aborta nesse país? Casamento homo, então. E a garotada que vai passando de ano direto e lá na frente não sabe nem ler Ovos de Pata?

A coitada da Marina nem tem tempo de falar oi.

O PCO prega uma revolução que ninguém nem está ai. Aliás, nem percebe-se que eles pregam revolução.

As coisas vão piorar. Infelizmente.

domingo, 4 de julho de 2010

A Linguagem dos Pássaros - Farid ud-din Attar

do livro A Linguagem dos Pássaros, de Farid udDin Attar,
pg 110 e 111, Attar Editorial.



Capítulo XXI - Desculpas de um quinto pássaro

Outro pássaro disse à poupa: "Sou meu próprio inimigo. Como aventurar-me neste caminho se levo comigo o assaltante que deverá deter-me? Como posso viajar com um tal perseguidor? Minha alma concupiscente, minha alma de cão, não quer submeter-se; sequer se como salvar minha alma espiritual. Reconheço bem o lobo no campo, porém este cão da alma, belo na aparência, ainda não me é bem conhecido. Estou na estupefação por causa desta alma infiel, e gostaria de saber se ela poderia ser-me conhecida afinal".

A poupa respondeu: "Ó tu que és como um cão vadio, sempre errante! Tu que és pisoteado como a terra! Tua alma é ao mesmo tempo vesga e caolha: como poderia servir-te de guia? Ela é vil como um cão, pesarosa e infiel. Se alguém se aproxima de ti, é somente porque está deslumbrado pelo falso brilho de tua alma. Quando escutas elogios, tua alma incha-se de orgulho, mesmo sabendo o quanto são injustificados. Não é bom para este cão que seja mimado e engordado artificialmente. O que foi tua infância senão um tempo de necessidades e ignorância, debilidade e despreocupação? Na metade da vida, tudo é individualismo e excentricidade, lutas e perigos, e o conhecimento de que neste mundo tu és um estranho. Então, quando a velhice se aproxima de nós, a alma torna-se lânguida e o corpo débil. Com uma vida assim desarrazoada, disposta dessa maneira pela loucura, como poderá a alma adquirir as qualidades espirituais? Vivemos na despreocupação do princípio ao fim, e é nada o resultado que obtemos. O homem acaba por obedecer à alma concupiscente que submete a tanta gente. Frequentemente um homem chega ao fim vazio, com nada em si senão um desejo pelas coisas exteriores. Milhares de corações sucumbiram nesta aflição, e o infiel cão da alma nunca morre".

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Puxando ferro e nadando.

Em abril atingi a meta histórica de 112,7 kg nunca antes na história deste pais eu havia pesado tanto.

Também em abril, após ir ao médico pra exames de rotina, descobri que tenho "extrassitole supra-ventricular", o cardiologista disse que era bom fazer exercícios físicos e perder peso.

Dia 10, com 111,8kg comecei a malhar.

Dia 11 tive minha primeira aula de natação após alguns anos sem entrar na piscina. Sai exausto, forcei muito, perdi totalmente a energia pro resto do dia, isso causou um estrago feio no namoro.

Hoje dia 21, 110,1kg fiz 28 chegadas na piscina (ela tem 38 metros) em meia hora. Depois uma hora puxando ferro e mais meia hora de esteira. Me senti muito, mas muito bem mesmo.

Vamos ver o que vai acontecendo...

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Inação

Cada vez mais preciso de ação.
Cada vez mais preciso do silêncio.
Cada vez mais preciso agir.
Cada vez mais corro da multidão.
Cada vez mais preciso da unidade, mas a divisão manifesta seu nome.
O circulo cada vez mais se fecha.

Estou exposto. Eu me coloquei exposto.

Faço as contas: somo alguns pensamentos, subtraio algumas filosofias, divido alguns conceitos e os resultados são sempre alguns padrões.

Engraçado como essas contas sempre dão resultados exatos.

O circulo está se fechando porque ele existe e é natural tudo que existe ter um movimento. Mas o circulo existe porque existe um centro.

Se eu eliminar o centro, o circulo deixa de existir e assim, automaticamente, ele deixa de fechar.

Bimba! Equação resolvida.

Nem tanto, ainda não. Um detalhe: para eliminar o centro é preciso saber como ele surge.

Ele está lá porque eu estou a observá-lo. Se eu não estiver mais lá, será que ele deixa de existir?

Bom, pelos para mim vai deixar e, no momento, nessa conta, não existe outra ser se não eu. Será?

Pois se o centro não existir é porque não existe o observador.
Se não existe o observador não existe EU.

Resultado: equação quase resolvida.

fonte: http://andreauke.blogspot.com/

segunda-feira, 3 de maio de 2010

A alquimia da felicidade - Al Ghazzali

trechos do livro A alquimia da felicidade, de Al Ghazzali, da Fissus Editora.

pág 5:


"...porém o verdadeiro autoconhecimento consiste em saber as seguintes coisas:o que tu és em ti mesmo, de onde tu vieste até onde tu vais, como que propósito tu vieste prender-te aqui por uns tempos, e em que consiste tua verdadeira felicidade e tua verdadeira miséria."


pág15:
"Aquelas coisas que lhe dão maior deleite são frequentemente as que lhe são mais prejudiciais, e aquelas coisas que o beneficiam não são para serem obtidas sem trabalho árduo e dificuldades."


pág 74:
"Ó minha alma, vós tendes apenas uma vida; nenhum só momento que passou pode ser recuperado, já que no conselho de Deus o número a vós concedido é fixo, e não pode ser aumentado. Quando a vida está concluída, nenhum tráfego espiritual vos é possível; portanto o que vós fazeis, fazei-o agora; trte este dia como se vossa vida já estivesse consumida, e este fosse um dia extra a vós concedido por especial favor do Todo Poderoso. Que loucura pode ser maior que desperdiçá-la?"

domingo, 2 de maio de 2010

Gurdjieff

Fragmentos do livro Relatos de Belzebu a seu Neto, de GI Gurdjeiff editora Horus.

"O cúmulo do prazer é obter o útil ao mesmo tempo que o agradável." pg.637

"Fontes de divinas
Alegrias, revoltas e sofrimentos
Dirigi vossa ação sobre nós." pg 720

"Jamais compreenderá o sofrimentos de um outro aquele que não os experimentou ele mesmo, ainda que possua a Razão Divina e a natureza de um Diabo autêntico." pg 1093

o que é a vida?

Neste dia cinco anos atrás eu estava com meu irmão em Barcelona. Cinco anos. E o que mudou de lá pra cá? Nada... Caramba minha vida continua igualzinha 5, 10 anos atrás.

Não construí, não casei, não fecundei nenhuma fêmea. Não é falta de responsabilidade. Será um planejamento que não existe, nem nunca tive? Falta de empenho? Semana que vem esse horário estarei em Washington, e daqui a cinco anos? Aqui na frente de um outro micro talvez? Na mesma situação?
Pra que sirvo nesse mundo? Qual minha utilidade aqui? Quanta gente vi casar e descasar?

Quantas meninas foram mães tão cedo e quantas pessoas já vi desencarnarem? Quantas mexericas já nasceram naquele pé?

Dizem que quem pensa muito não casa, eu digo que isso é verdade. Será que fazer esse papel de bonzinho, educado no final das contas vai me levar a algum lugar? Não deveria ser mais devasso, irresponsável, porralouca pra ver no que iria dar?

Sabe, eu vi o céu hoje pela manhã. Estava lindo. Céu de brigadeiro. E me perguntei:

- E dai ?

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Rubayyat

82.
Delicia-te, ó
meu irmão, com
todos os perfumes, todas
as cores, todas as músicas.

Envolve de carícias
todas as mulheres.

Lembra-te de que a vida
é fugaz e que breve
voltarás ao pó.

.......
89.
Não pedi a vida a ninguém.
Esforço-me por acolher
sem espanto e sem cólera
tudo o que a vida me oferece.

Partirei sem indagar
o motivo da minha misteriosa
estada neste mundo.

......
157.
Toma a resolução de não mais
contemplar o céu.

Cerca-te de belas raparigas
e deixa que elas te acariciem.

Hesitas ainda?
Tens ainda a tentação de
orar a Deus?

Antes de ti, outros homens
fizeram súplicas ardentes.

É certo que eles já partiram
deste mundo, mas tu
ignoras se Deus as escutou.

......
4.
Que a tua sabedoria não seja uma
humilhação para o teu próximo.
Guarda domínio sobre ti mesmo e nunca te abandones à cólera.
Se aspiras à paz definitiva, sorri ao Destino
que te fere; não firas ninguém.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Vigiai, não sabeis o dia nem a hora.

Antes que possas ser generoso, deves possuir três qualidades e praticá-las, para que possas abraçar o caminho da pobreza. São eles: perseverança, temor a Deus e a capacidade de recordar.
A História dos Quatro Dervixes, pag. 68





"Tudo depende da lembrança. Não se começa por aprender, mas por lembrar-se. A distância entre a existência intemporal e as dificuldades da existência temporal fazem com que permaneçamos no esquecimento.
É por esta razão que Deus ordena: Lembre-se."
Xeque Ismail Hakki

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Junk Food

Minha mãe tem milhões de receitas em casa. Não, não é figura de linguagem, é fato.
Outro dia ela perguntou se dá pra pôr tudo na internet, eu respondi que sim, mas quem digitasse tudo aquilo acabaria com tendinite, ela riu. Mas é uma vontade dela, aprender a usar o computador e fazer um site com as receitas que tem. Tomara que consiga.

Dormindo alguns dias fora de casa, como hoje por exemplo, meu jantar tem se resumido a lanches, diet shake, frutas ou junk food.

Gosto muito de ler o site Comendo com os Olhos, tem muita coisa interessante por lá, tenho vontade de um dia postar algumas experiências que tive semelhantes as que leio por lá. Tem o link pro site aí no menu ao lado direito.

Vou dar uma receita do que fiz hoje. Miojo (qquer um, o que muda são os pózinhos), um pacote de queijo ralado Formaggio, da Renata, ele é ralado grosso, e uma lata de milho em conserva.
Enquanto a água do miojo tá esquentando, vai abrindo a lata de milho e pode dar umas colheradas, eu adoro milho e jantaria uma lata daquela numa boa. Depois abra o pacote de queijo ralado e também pode comer um tantinho... Pois bem, depois que o miojo já tiver bom, jogue metade da lata de milho e metade do pacote de queijo ralado, misture tudo e que Deus tenha piedade e clemência de sua alma. O negócio fica bom, viu? O queijo faz parecer que o miojo ficou amanteigado, talvez manteiga e queijo tenham a mesma origem, se pôr muito acaba estragando.

É isso.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Predadores



A direção fica por conta de Nimrod Antal , com produção de Robert Rodriguez. No elenco estão Adrien Brody, Topher Grace, Danny Trejo, Alice Braga, Derek Mears, Walton Goggins, Oleg Taktarov, Louis Ozawa Changchien e Laurence Fishburne.

O filme chegará aos cinemas do Brasil em 23 de julho.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Roubolation



Roubolation, pegadation, prometation, enganation....

A mão na carteira que vai começar!!!

domingo, 21 de fevereiro de 2010

sobre O Feitiço do Tempo.

O filme Feitiço do Tempo (Groundhog Day), com o Bill Muray e a Andy MacDowell é um dos meus favoritos. Assisti três sessões seguidas desse filme no cine Olido, no século passado, pra ficar vendo os detalhes e contar quantos dias ele vive no mesmo dia. Eis que lendo o site Saindo da Matrix, encontro um texto sobre esse filme, e fiquei simplesmente besta... não sei como, mas algo me tocou quando assisti o filme e algo me tocou novamente quando li o texto no site. Reproduzo-o aqui na íntegra:

O primeiro passo é sempre o mais importante
(Frase dita duas vezes durante o filme)

De vez em quando surge um filme "encomendado" pela espiritualidade pra inserir, discretamente, valores espirituais em nós. Alguns mais descarados, como Ghost, (do outro lado da vida) e Amor além da vida (com Robin Williams). Outros mais discretos, como o final de Titanic, (em que os tripulantes mortos se reúnem pra receber o espírito de Rose na contraparte etérica do salão do navio) e outros que trabalham por metáforas de difícil compreensão, como Cidade das sombras, Cidade das Crianças Perdidas e, claro, The Matrix.


Mas um filme em especial é muito sutil em sua mensagem, e só a percebi quando me foi dada a chave para destrinchá-lo. É o filme Feitiço do Tempo (Groundhog day, "dia da marmota" no título original), com Bill Murray. É uma comédia de primeira, com muito humor ácido, do tipo que eu gosto. Conta a história de Phil (Murray), um cara arrogante que fica preso em um dia em particular, que ele tem de reviver infinitamente, e onde as coisas ocorrem sempre igual (a menos que ele interfira nos acontecimentos). Assisti a primeira vez e nem me liguei. Da segunda, vi com o pessoal do CEPEC (Centro de pesquisa da evolução da Consciência) e foi fantástico perceber como o diretor conduziu (conscientemente ou não) os fatos para que cada dia daquele represente uma encarnação. Essa é a "chave".

Não leiam a resenha abaixo se não viram o filme. Recomendo que vejam, vai ser muuuuuuuito instrutivo:

Quando Bill Murray descobre que está preso neste Samsara (ciclo de encarnações), primeiro sobrevém a negação, o desespero. Depois ele se acostuma, e percebe o poder que tem em mãos. A partir daí ele procura se divertir, ser leviano, dar vazão aos prazeres (viver emoções fortes, comer tudo o que quiser, conquistar todas as mulheres da cidade) e usa de informações privilegiadas (afinal, ele sabe tudo o que vai acontecer no dia) pra manipular as situações e as pessoas, como fantoches.

Daí ele se volta pra Rita, a produtora de TV que veio com ele pra cidade. Então ele tenta usar seu "poder" pra obter o máximo de informações sobre ela e ser aquilo que ela quer de um homem ideal: mas só de fachada. Através de várias manipulações ele quase consegue seu intento, mas isso não o satisfaz. Afinal, ela não se apaixonou por ele, e fingir o tempo todo é algo cansativo. Então ele se cansa dos prazeres efêmeros... tudo o que ele fez até então não acrescentou nada em sua personalidade, nem ao seu caráter.

Ele então tenta se matar. Fugir daquela maldição do mesmo dia após dia. Não adianta. Até que ele tem o estalo de usar o tempo (no caso dele, a eternidade) pra investir no próprio aprendizado. Afinal, tudo o que ele leva de um dia para o outro é o conhecimento, mais nada. Ele vai procurar se TORNAR de fato o homem ideal pra Rita. Uma mudança interna. Estuda piano, aprende a esculpir, passa a dar mais atenção às pessoas, a contornar com delicadeza e perspicácia situações que antes ele partia pra ignorância e arrogância. Percebe que, se ele não pode buscar a própria felicidade, ele pode trazê-la a outras pessoas. Ele sabe que amanhã vai acontecer tudo novamente, que aquilo é uma felicidade efêmera, mas verdadeira para cada pessoa que ele ajuda. Isso o faz se sentir bem. Há coisas que ele não pode evitar (como a morte por velhice do mendigo, pois já era o tempo dele) mas tudo o mais ele pode alterar pra melhor, bastando ele interagir (ao contrário do começo do filme, onde ele sequer olhava para as pessoas).

Então, muito tempo depois, ele já tem os atributos necessários para conquistar o coração de Rita. E o mais interessante é que, com essa mudança interna, mudam também seus valores e prioridades. Rita se encanta com ele logo pela manhã, e o convida para um café. Mas Phil adquiriu responsabilidade: ele tem pessoas para ajudar. Rita não o vê até de noite, num baile. Phil adquire humildade: Em vez de sair contando ou mostrando suas ações pra impressioná-la, ele fica quieto. Mas a Lei do Karma se manifesta positivamente: Tudo o que se planta, se colhe, tanto as más quanto as boas ações. Todas as pessoas que ele ajudou aparecem no baile e o agradecem efusivamente. Ela passa a conhecer mais sobre o Phil através do que ele fez para aquelas pessoas (Muito mais eficiente que qualquer cascata/marmota que ele tentou anteriormente).

Ele a conquista, enfim. Mas está tão cansado que acaba dormindo nos braços dela.
Só quando ele irradiou o amor desinteressado por outras pessoas ele recebeu o amor de volta (de várias formas). E recebe o prêmio final: o fim daquele ciclo de aprendizado (e o início de novas experiências ao lado de Rita).

________________________

Nossa vida é assim mesmo. Retornamos muitas vezes a esse mundo pra aprender muitas lições, e algumas em especial. Se falharmos exatamente nesta (que é essencial para o aprendizado de outras mais, assim como aprender o básico da Matemática é um pré-requisito para estudar Física) teremos de repeti-la na próxima vida (o contexto em que virá será completamente diferente, mas a lição a ser passada será a mesma).

Por vezes nossa vida parece chata, ou você se sente a pior pessoa do mundo, a mais feia, a mais abandonada, enquanto outras pessoas parecem ter tudo de mão beijada... mas você não está só. Aquilo está sendo analisado por seus guias, só esperando o seu "estalo" (como vai ser, só você sabe). Pode-se evoluir através da alegria ou do sofrimento.

As oportunidades na Terra são como um tesouro que precisa ser abrigado. Ele procura a sua casa, discretamente bate à porta, mas se ela se encontra fechada, então procura outra casa próxima para se abrigar. Mas chega uma hora em que as outras casas estão cheias, e só a sua acomodaria certos tipos de tesouros (principalmente os grandes, pesados e não muito interessante para os outros que já guardam coisas mais refinadas, mas que é muito importante pra você, que não tem nada e possui muito espaço sobrando). Mas, como fazer algo entrar numa casa que só tem uma porta, e ela se encontra irremediavelmente fechada? É preciso bater um pouco mais forte: Se você abrir, ótimo. Se não será preciso bater com mais força, talvez gritar para chamar sua atenção. Por fim, pode ser necessário acabar derrubando a sua porta com marretadas! A primeira reação sua é reclamar "Minha porta!" Mas aí você vê o tesouro entrar, e é exatamente aquilo que você precisava naquele momento! Você já nem liga pra porta quebrada, e nem lembra mais dos gritos, das marretadas.

fonte: http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2003/07/feitico_do_tempo.html

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Carnaval

Primeira postagem que faço fora do micro de casa.

Estou na InternetLivre do Sesc Bertioga (devia estar na piscina, né?), cá estou suando demais da conta.

Aqui tem WiFi e muita gente tem laptop, não pensei que se tivesse disseminado tanto assim os bichinhos portáteis. Aqui nos micros "fixos" fica mais uma garotada desbocada, que fala alto e só fica em joguinhos. Outros ficam no orkut. Se você tentar fazer uma pesquisa ou busca algo interessante, tem que ter paciência pra se focar no que está fazendo.

Está um dia lindo, muito, muito sol, e se vc ficar sentado parado começa a suar sozinho.

Estou gostando...
fiquem na paz!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Bom feriado

Situação 1:

- Bom feriado. - disse eu.
- Eu não gosto de carnaval, acho uma besteira, uma pouca vergonha isso tudo que passa na tv, as mulheres não se valorizam, tanta gente passando fome... etc, etc...

Situação 2:
- Bom feriado. - disse eu.
- Eu não vou viajar, vou ficar em casa. Estou pintando minha casa e vou aproveitar pra terminar logo o serviço.

Situação 3:
- Bom feriado. - disse eu.
- Imagina! Com essa chuva toda? Vai chover "tudo" esses dias, etc.. etc..

Situação 4 e a mais crítica:
- Bom feriado. - disse eu.
- Meu jovem eu sou testemunha de Jeová, nós não comemoramos o carnaval.
- Eu não disse bom carnaval, eu disse bom feriado.
- Mas pensou em dizer bom carnaval.
- De forma alguma, não conheço o gosto ou a religião das pessoas quando digo bom feriado, apenas desejo que a pessoa tenha um bom feriado, só isso.
- Sei...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010