sábado, 15 de novembro de 2014

Dr Jatene

Faleceu ironicamente de infarto do miocardio o Dr Adib Jatene, aos 85 anos.
Uma das melhores mentes desse país.

domingo, 9 de novembro de 2014

Mulheres usam vibrador enquanto cantam

As cantoras da banda Adam aceitaram o desafio de gravar um clip enquanto
usam um vibrador. O resultado não poderia ser melhor e o video já
alcançou mais de 14 milhões de visualizações.



sábado, 8 de novembro de 2014

Sáb 08 nov

Acabei de almoçar, tempo nublado, quente.
Meu irmão foi hj p Tailândia, aliás está indo, está no avião agora.

As pessoas estão muito ansiosas e desrespeitosas.

sábado, 25 de outubro de 2014

Azeleições 2014

A Veja deu uma tremenda bola fora

Se vcs procurarem pela capa da edição que saiu ontem, é o ápice do terrorismo da imprensa tucana (pleonasmo!). A matéria é vaga, não apresentam provas, apenas gritam contra a Dilma. 

O resultado?? Levantaram a bola pra aqueles que querem restringir a imprensa (igual na Venezuela!), tem muita gente dentro do governo babando pra isso acontecer. 

Tentando derrubar o "inimigo" a Veja  dá um tiro no pé. A salvação da editora Abril é a vitória do Aécio. 


VEJAmos o que acontecerá.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Tang Goiaba

Semana passada, nos dias de recorde de calor, comprei uns pacotinhos de sucos instantâneos pra tomar gelado. 
Um deles foi de goiaba. Fiz, deixei na geladeira e estava muito gostoso, semelhante ao natural e, surpresa das surpresas, denso. Sim, com uma densidade parecida com a natural. 

O cérebro tomaria por natural com certeza, se me fosse oferecido noutra situação. 
A engenharia de alimentos está muito, muito avançada. Fiquei assustado com o que experimentei. A ilusão está cada vez maior.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Eleições 2014

É muito triste ver o quadro político como está e pior ainda o que está sendo oferecido.

É muito triste ver muitas pessoas identificadas com candidatos, próximas a paixão violenta na defesa deles e ataques aos adversários. Pensam que são pessoas politizadas.

Votarei nulo, gostaria que fosse contabilizado como voto nulo, mas é contado como voto inválido. Até a lei foi formada pra piorar o quadro.

domingo, 19 de outubro de 2014

Testando postagem via iPhone

Vamos ver como isso fica

Domingo 09:15h horário de verão 
Sol, calor, céu de brigadeiro 

Na loja, trabalhando

terça-feira, 30 de setembro de 2014

ORAÇÃO PERMANENTE

Muitas pessoas precisam de fatores externos para encontrarem Deus dentro de si. Outras vivem um vasto período de análise intelectual sem se permitirem um momento se quer, de intuição espiritual.
Nós não podemos chegar à verdadeira experiência de Deus somente por meio da análise mental. Isto é apenas uma preliminar que deve ser ultrapassada para poder se alcançar uma certeza espiritual.
A análise mental é como um grande labirinto sem saída.
Muitas pessoas ficam presas a métodos.
Os grandes mestres não estavam preocupados com grandes métodos espirituais. O maior dos terapeutas dizia somente para que se orasse sempre. Sempre quer dizer orar 24 horas por dia, durante 365 dias por ano.
As pessoas confundem oração com reza, pensam que oração e meditação é um tipo de ato externo. Os mestres não falam de atos, falam de atitude.
O que é atitude? Atitude é o modo de ser, não é agir, não é fazer alguma coisa, é ter a consciência do Ser, a consciência da Presença de Deus. Isso não significa pensar em Deus.
A consciência nada tem haver com análise, com sucessividade. Ela é um estado simultâneo, permanente do nosso ser espiritual, do nosso Eu. Eu e consciência são a mesma coisa. Ego e inteligência são outra coisa.
A inteligência pensa, a consciência conscientiza, de maneira que, orar sempre não é pensar, não é falar, é ter a consciência do seu Ser.
Naturalmente que quem se identifica com o seu ego intelectual não pode conscientizar.
A Oração Permanente de que fala o grande mestre, é uma respiração da alma e nada mais. Assim como o corpo respira constantemente para poder viver, assim a alma deve respirar constantemente para poder viver. Quem não respira espiritualmente, morre espiritualmente.
Orai sempre e nunca deixeis de orar.
Quem não renunciar a tudo que tem, não pode ser meu discípulo.

A primeira asa é muito simpática, mas a segunda, para os não iniciados, é muito antipática. Por que entendem que renunciar como uma coisa muito dolorosa.
Eles logo compreendem por coisas materiais como dinheiro, casa, automóvel e outras coisas mais. Isso não é muito importante.
Muito mais necessário é renunciar a si mesmo, que é muito mais importante do que renunciar a objetos.Mas, o que vem a ser renunciar a si mesmo?
Quem não conhece a natureza humana não pode compreender estas palavras. Para esta pessoa, renunciar a si mesmo parece com suicidar-se. Mas isto não resolve nada, só piora a situação.
Somente quando descobre que não é o seu ego, o seu invólucro humano, que isto ele tem, mas que isso ele não é, que ele é o seu espírito, a sua alma, a luz do mundo, a pérola preciosa. Então, ele renunciou.
Renunciar é o descobrimento da verdade sobre si mesmo! Quem não entrou no autoconhecimento, não renunciou!
É por meio da meditação que podemos não mais nos iludir com dúvidas ou incertezas.
É pela verdadeira meditação, que podemos chegar à certeza da nossa identidade essencial com o Espírito de Deus.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Nosso tempo

A Índia antiga negava toda a realidade no passado, no presente e também no futuro. Ela representava o tempo como um palco onde nasce e morre o mundo transitório das aparências. O tempo, assim como o espaço, é feito de oposições (dvanda). Ambos são gerados na ação dos três gunas, que são três fios da corda que amarra o homem sobre a roda do nascimento e da morte.
Tamas, a gravidade e a ignorância,liga pela negligência e pela indiferença;
Rajas, o movimento, a ação, liga pelo orgulho e a vaidade, e pela tendência ao ativismo;
Sattva, a harmonia, a paz e a claridade, liga pela tendência a procurar
a felicidade e os conhecimentos.

Um ocidental ficará certamente espantado de ver que os indianos dos
tempos passados contavam a harmonia e a paz entre o número de vínculos que prendem a este mundo. É uma concepção totalmente estranha à sua ética. A imagem dos três fios da corda corresponde, no entanto, à visão dos gnósticos para quem o bem e o mal se unem um ao outro neste mundo da dualidade.

Além das recorrentes tribulações,decepções e sofrimentos do mundo dos altos e baixos, existe um princípio eterno que liga o mais profundo dos infernos e o mais elevado dos céus com o prana original e abarca todos os mundos. “Deus não deixa perecer a obra de suas mãos”, como é dito na Bíblia.
Segundo a antiga sabedoria dos indianos, o mundo está em queda e
continua a se atolar na luta das oposições (dvanda) e na ilusão (maya).

Atualmente ele alcançou o ponto mais baixo, a matéria grosseira, as trevas. Esse nadir será seguido de um período de alívio em que a matéria será menos densa.
Um período do mundo consiste de quatro épocas, sendo a primeira a
mais longa, a última a mais curta. Quanto mais o mundo se afasta de
seu domínio de origem, que é santo, mais ele se afunda na matéria e mais
os períodos se tornam curtos, tornando-se cada vez mais difícil aos
grandes iniciados descer no mundo para auxiliar a humanidade.

No Krita Yuga, o dharma, a força da Gnosis, penetra o universo. Todos os seres vivos se consagram inteiramente a manter a ordem sagrada. O nome Krita faz referência à origem, ao primeiro lançamento de dados no jogo de azar. O número quatro exprime uma totalidade. A primeira época se auto-sustenta. Ela se “mantém sobre quatros pernas”
No Tetra Yuga, o ritmo do mundo se acelera. Só três quartos do dharma
sagrado estão presentes. As leis sagradas já não são espontaneamente postas em prática, mas devem ser ensinadas e aprendidas. A ordem divina só se “mantém sobre três pernas”.

O Dvapara Yuga (dva = 2) é a época em que foi estabelecido o equilíbrio entre a perfeição e a imperfeição. O conhecimento direto da ordem divina é cada vez menos acessível.
No Kali Yuga (kala = negro, tenebroso) a transmissão das normas santas é totalmente perdida. No jogo de dados, Kali é a jogada do perdedor.
Segundo o Vishnu Purana, o Kali Yuga começa quando na sociedade o
único poder é o da riqueza, a única virtude, a posse, a única ligação entre
o homem e a mulher, a paixão, a única fonte de prazer, o acasalamento, o único fundamento do sucesso, a traição..

A destituição do divino, do dharma, do ensino, é a razão pela qual o Kali Yuga dura menos tempo.
Esta época, na qual a humanidade atualmente se encontra, e começou na morte do divino Krishna (por volta de 3120 a.C.)
O homem deve libertar em si mesmo a substância divina. Os Upanishads cantam, em versos magníficos, o progresso até a união com Brahman, o divino original. Essa realização é alcançada quando as cinco camadas dos “véus da ignorância”, como os chama Shankara, se rasgam.
A história da espiritualidade indiana é constituída de uma série de tentativas para acompanhar a queda do homem na matéria e indicar-lhe o caminho da reintegração divina.
Em outras palavras, libertá-lo do ciclo dos nascimentos, das garras de Maya, a ilusão. No início ainda era possível se libertar simplesmente
rasgando os véus da ignorância para ver a ausência de realidade do
mundo das aparências.

Mais tarde, o homem precisou se submeter a um processo inteiramente apoiado pelo budismo, entre outros. Em seguida, à medida que o homem afundava na matéria, foi preciso criar novas condições para que ele pudesse retornar a sua origem.
Quinhentos anos depois de Buda, Mestre Jesus disse: “Meu reino não é deste mundo”. Segui-lo significa seguir um caminho no qual o inferior deve morrer e abrir espaço para a nova Alma.
O caminho da libertação espiritual é percorrido na atualidade, hoje e agora: eis o que já ensinava a antiga sabedoria indiana.
"Aquele que reconhece Deus oculto em si, no original-eterno, misterioso,
que permanece no coração, eleva-se acima da alegria e da dor
O espírito não nasce e não morre,
Ele não provém de nenhum lugar e não vai a nenhum lugar.
Ele é imutável e eterno,
Ele está vivo mesmo que o corpo esteja morto.
Ínfimo e, no entanto, maior do que o maior,
Deus está escondido no coração da criatura.
A majestade do ser reconhece, na calma,
Aquele que, sem desejo, libertou-se da dor e das preocupações."

segunda-feira, 30 de junho de 2014

sábado, 22 de março de 2014

A luta dos cegos

 Certa manhã, quando dirigia-se ao mercado, Nasrudin viu alguns cegos e,
fazendo tilintar as moedas em sua bolsa, disse em voz alta:

- Amigos, amigos, peguem estas moedas. Tu, toma esta, tu, esta, e vocês
repartam o resto - e enquanto fazia isso, fazia tilintar as moedas em sua
bolsa.

É evidente e seria até demais esclarecer, que não repartiu um só tostão.
Produzida a cena, afastou-se para observar a seguinte situação: Os cegos
começaram a precipitar-se uns sobre os outros, exclamando e gritando: " deu
tudo para ti". Ou então:" Vocês ficaram com tudo ao invés de repartir". Ou:
" Eu nada recebi", " mentes", " dá-me a minha parte", etc. etc.
Isso transformou-se em empurrões, socos, chutes, insultos, xingamentos,
terminando em uma grande batalha indescritível, dada a cegueira total
reinante.
Nasrudin, que seguia de perto as peripécias da batalha, murmurou:

- Isto é o que poderia chamar-se de uma " uma luta de cegos por motivo
inexistente".

quarta-feira, 19 de março de 2014

Primavera nos dentes

Quem tem consciência pra se ter coragem
Quem tem a força de saber que existe
E no centro da própria engrenagem
Inventa a contra-mola que resiste

Quem não vacila mesmo derrotado
Quem já perdido nunca desespera
E envolto em tempestade, decepado
Entre os dentes segura a primavera.

João Ricardo - João Apolinário (Secos & Molhados)

quinta-feira, 13 de março de 2014

A arte de ouvir

O vídeo abaixo é de Jonh Cage.

Podemos usá-lo para fazer um exercício de audição. 

Tomara que você perceba o falatório incessante de sua mente, é difícil manter a atenção e apenas ouvir. Poderá perceber também ansiedade, desconforto, impaciência, enfim.

Experimente.



segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

“La última barrera, un cuento sufí “ de Rashad Field

 Los tres aspectos de la respiración 

 1. Verifica que tu columna esté erguida, para que los fluidos vitales puedan circular fácilmente. Ahora inhala durante una cuenta de siete, haz una pausa de uno, y exhala durante otra cuenta de siete. Antes de comenzar la segunda inhalación, haz otra pausa de uno. Es una cuenta rítmica muy simple 7-1-7-1-7. Si practicas verdaderamente, pronto se tornará automática. Al principio el ritmo era extraño y difícil de seguir, pero luego algo en mí comenzó a despertar lentamente: un observador que podía ver todo lo que estaba sucediendo y sin embargo no se identificaba con nada, ni con el ritmo mismo. 

 2. Existen muchas calidades que pueden acompañar la respiración si comprendemos el ritmo y si somos capaces de concentrarnos de manera correcta. Por ejemplo, puedes elegir un color del espectro e incorporarlo a tu cuerpo con la respiración, llenando con él cada célula. Esta práctica es útil en ciertos tipos de curación. Puedes inhalar una vibración fuerte, similar a los bajos de un piano, o puedes inhalar las vibraciones más sutiles que se puedan imaginar que, en este mundo, se encuentran más allá de las ondas sonoras. ¡Puedes elegir cualquier cosa! Puedes inhalar la esencia de una flor o de una hierba del mismo modo que hueles su perfume y reconoces la diferencia. El conocimiento de la respiración es muy vasto; antiguamente pocos lo poseían pero ahora ha llegado el momento de que el mundo comience a comprender. 

 3. Igual que el viento lleva la semilla de un lugar a otro, así la respiración puede llevar una intención de un área del cuerpo a otra, con un fin determinado. Colocando de manera correcta la respiración podemos aprender a equilibrar el cuerpo. Este es el comienzo del aprendizaje del arte de la trasmutación …el secreto de la vida es la respiración. Usando la respiración de manera correcta, todo se puede transformar, y es nuestro deber de nacimiento llegar a ser transformadores conscientes.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Quem é você... realmente

Há legenda em Português(Brasil)... aprecie.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Leitura de tarô



Experimente, consulte. Mais uma ferramenta para o autoconhecimento.