segunda-feira, 5 de maio de 2008

Amo você...



AMO VOCÊ

Ah! Como dói o amor quando distante...
As horas não se passam, vida voa...
O mundo se desaba num instante
Quem dera ser feliz... Rei e coroa...
Nos olhos derramados deste amante
As lágrimas se secam. São à toa...
Jamais renascerá o radiante
Sol... Mas um girassol louro destoa...

Floresce mais teimoso neste prado.
As cores e os brilhos tal farol...
Promete ressurgir vital prazer,
De tanta dor que trouxe do passado,
Da minha mocidade sem o sol,
Buscar o louco amor, o meu afã.
Quebranto e solidão meu triste fado,
Mas, entretanto a vida, um girassol;
Promete renascer, loura manhã!


Marcos Loures