sábado, 29 de dezembro de 2007

2008


Que você realize seus sonhos.

Alcance seus objetivos.

Vença suas metas.

Viva melhor.

Durma e sonhe tranqüilamente.

Tenha saúde.

Transe com bastante qualidade.

Dance, corra, pule, brinque, divirta-se, dê algum tempo a si mesmo.





Preste atenção às coisas que fala.

Se acredita em simpatias e pretende usar alguma cor especial na virada de ano, então lembre-se do motoqueiro que te assustará no trânsito, lembre-se do outro motorista que vai te dar uma fechada, das pessoas que te verão e não te cumprimentarão, nas cenas de violência que presenciará... e quando essas coisas estiverem acontecendo, ao invés de xingar, explodir de raiva, lembre-se que você estava de branco no reveillon e desejou paz. Quando receber seu salário, quando for pagar uma conta, ao invés de maldizer suas finanças, lembre-se que estava de verde. Quando você ignorar um olhar pidão...lembre-se estavas tu de vermelho. Idem para outras cores e situações. Não é a cor que vai fazer você se transmutar, será sua atitude perante as situações. Se você quiser mudar o mundo, comece mudando por si mesmo.

Por favor, seja mais paciente, ouvinte, leia mais, divida informação, ajude, aja com cordialidade, respeite as outras pessoas, o mundo NÃO foi feito para você. Enfim, aja com os outros como você gostaria que agissem com você.

Tenha um 2008 muito bom.

domingo, 23 de dezembro de 2007

Querido leitor, tenha um bom Natal.

O Filho do Homem
Vinicius de Moraes

O mundo parou
A estrela morreu
No fundo da treva
O infante nasceu.

Nasceu num estábulo
Pequeno e singelo
Com boi e charrua
Com foice e martelo.

Ao lado do infante
O homem e a mulher
Uma tal Maria
Um José qualquer.

A noite o fez negro
Fogo o avermelhou
A aurora nascente
Todo o amarelou.

O dia o fez branco
Branco como a luz
À falta de um nome
Chamou-se Jesus.

Jesus pequenino
Filho natural
Ergue-te, menino
É triste o Natal.

Natal de 1947

Outros belos textos, poemas de Natal veja em Releituras

sábado, 22 de dezembro de 2007

Alguns quadrinhos do André Dahmer, veja mais em www.malvados.com.br



sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Amizades.



A lembrança é e será doce.

Com certeza.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

O dia de São Nunca ou o cúmulo do absurdo.

Quando você vende coisas que estragam tem que ficar verificando a data de validade de tudo, antes que um chato te encha o saco porque tal produto está vencido, ou pior dos piores, chega um filadaputa de um fiscal que vai te acharcar até o fim da vida se ele pegar um produto vencido.

Pois bem, estava vendo a validade de algumas mercadorias quando... Fiquei olhando, olhando e não acreditei... que merda! E bem do lado do logotipo do Controle de Qualidade dos caras.

sábado, 15 de dezembro de 2007

Ecoando André Laurentino.

Não conhecia esse sujeito ainda...mas ontem comprei O Estado de S. Paulo e no Guia tinha esse texto dele. E também tinha o link do blog dele, onde tem muitos outros textos interessantes... Fui lá e Copy & Paste.

Eis aqui o texto que agora divido com vocês.


Não ria

Não se deve rir dos mais fracos. Também não se deve rir dos mais fortes (dói muito depois). Não se deve rir dos sofridos. Dos doentes. Ou dos heróis. Não se deve rir dos negros, nem dos branquelos, nem dos pardos durante a noite. Por via das dúvidas, também não ria dos albinos. Não se deve rir dos dentistas (trabalham de pé), não se deve rir dos oficiais de alfândega (experimente e veja o que acontece), nem dos carteiros (são vítimas de assaltos e mordidas), não se deve rir dos banqueiros (eles rirão por último), nem dos mendigos (não é profissão). Não se deve rir das reuniões com Power Point, nem do adversário caído. Não se deve rir em velórios, em filas do PAS, em consultas ao urologista (eles se vingam quando você completa 50 anos), em aulas magnas, em confissões dos alcoólicos anônimos. Não se deve rir de alguém chamado Ilmo porque o pai achava que Ilmo era um nome importante pois sempre vem escrito nas cartas. Não se deve rir de quem é burro. Não se deve rir de mim, que escrevo. Nem de você, que é leitor. Porque não se deve rir das coisas nobres, como a capacidade humana de ler e escrever. Também não ria, por favor, dos analfabetos. Mesmo que eles não saibam do que você está rindo. Ah, não ria dos inocentes. Não ria das piadas, porque invariavelmente elas fazem graça com a desgraça alheia. E não se deve rir da desgraça alheia. Não ria dos católicos (Deus castiga), não ria dos judeus (eles fazem isso melhor do que você), dos evangélicos (eles pagam caro por isso) nem dos ateus (não são filhos de Deus, coitados). Não ria de nós, os nordestinos. Não imite os nordestinos (não é engraçado), não pergunte a tabuada aos nordestinos (não ria da baixa escolaridade da maioria dos nordestinos). Não ria dos gays (deixe isso para eles), não ria dos heteros (se você ri dos heteros, só pode ser gay), não ria dos castos (vivem de mau-humor), nem dos promíscuos (vivem por um triz). Não ria do sexo (humor e sexo não combinam, já viu alguém transar gargalhando?) Não ria de quem tem razão e não ria de quem está errado (amanhã pode ser o contrário). Não ria do seu chefe (não na frente dele), e não ria pelas costas. O mundo é um lugar sério, cheio de gente sofrida e injustiçada. Uma imensa maioria de minorias. Todos penamos muito e não temos o retorno que nos é digno. Meu Corinthians, por exemplo, foi parar na segundona. Você vai rir numa hora dessas?

Publicado no Guia, em O Estado de S. Paulo ---- André Laurentino 14.12.07

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Ecoando Luciano Pires.

Gosto de alguns textos do Luciano Pires. Esse foi divulgado hoje. Concordo com muita coisa que ele diz nesse texto. Por isso eu divido com vocês também.

--------------------------------------

Não acredito

Era 1988. Meu filho tinha uns três ou quatro anos de idade e estávamos na piscina da chácara de meus pais em Bauru. Eu dentro d´água e ele do lado de fora, ensaiando saltar em meus braços, com todo o medo de quem experimenta uma situação de risco. Eu o incentivava e ele hesitava.
- Pula! Papai está aqui! Pode pular!
E então ele saltou. Voou pelo ar até cair na piscina, com o torso fora d´água graças às minhas mãos que o “salvaram”. E, passado o medo, o bichinho gostou da brincadeira.
- Di novo!
E lá ia ele correndo e saltando, cada vez com maior desenvoltura. Até que, num dos saltos, propositadamente deixei que ele caísse na água e afundasse uns centímetros. Puxei-o para fora e ele estava apavorado. Olhos arregalados, cabelo na testa, as mãozinhas na boca e agitando as perninhas...
- Calma, ta tudo bem, o papai está aqui!
Depois de choramingar ele voltou para os saltos. Mas não eram mais os mesmos saltos. A cada vez que ia saltar, parava e me perguntava:
- Você vai me deixar cair?
Naquela piscina aprendi uma lição. Como é fácil destruir laços de confiança. Como é fácil incutir o medo na cabeça dos outros. Como é fácil alimentar o descrédito. Como fui um idiota...
Pois bem.
Agora repare como você está sendo treinado a não acreditar mais em coisa alguma. Como os elos de confiança, que você tinha quando jovem, estão sendo quebrados, um a um. E sabe como? Com anos de decepções. Com a enxurrada de escândalos. A cara de pau com que as celebridades de todas as áreas aparecem na mídia contando mentiras. O desnudamento das técnicas de “dudificação” (neologismo que criei com o nome de Duda Mendonça), quando usam o marketing para nos convencer a comprar o que não queremos nem precisamos. Com os valores morais e éticos discutíveis da grande mídia e seus interesses econômicos. Com a exposição diária do lado torto da sociedade. Com a
eliminação das referências... A cada fato ou momento desses, sinto-me como meu filho, traído, caindo na piscina. Sinto que estou me tornando descrente.
O jogador foi dispensado da Copa por problema físico? Não acredito. Foi pela briga com um colega de time. O Major Pontes foi ao espaço para experimentos científicos? Não acredito. Foi jogada eleitoral. O PCC atacou para medir forças com a polícia? Não acredito. Também foi jogada eleitoral. O Brasil tem indicadores positivos? Não acredito. Nunca estivemos tão mal. A Globo é uma das redes de televisão mais profissionais do mundo? Não acredito. Manipula conforme seus interesses. Ladrão vai pra cadeia? Não acredito. Só ladrão pobre. Não acredito no Lula. Não acredito em FHC. Não acredito em Pelé. Não acredito no Willian Bonner. Não acredito na Heloisa Helena. Não acredito no Garotinho. Não acredito no Ronaldo. Não acredito na Hebe. Não acredito no padre. Não acredito no pastor. Não acredito no polícia. Não acredito no juiz. Não acredito no zelador. Não acredito...
Putz... No quê me transformei? Num ser que não acredita em mais nada? Que desconfia de tudo? Incapaz de entregar-se a uma causa em sociedade? A um objetivo em grupo? Afinal, alguém vai se aproveitar de minha confiança?
Você, por acaso, também se sente assim?
Que triste...
Pois quer saber de uma coisa? Tem coisa na qual eu acredito sim. Acredito em mim. Acredito em minha família. Acredito nos valores que meus pais me passaram. Acredito que dá para contribuir para este país dar certo. E acredito que outros milhões de brasileiros acreditam nisso também. Brasileiros que não são trouxas. Que pensam e buscam o melhor. Que unidos podem mudar o futuro.
Mas eles andam tão calados...
--------------------------------------------------------------
Luciano Pires é jornalista, escritor,
conferencista e cartunista.
E-mail: luciano@lucianopires.com.br

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Televisão

Mudei de canal e lá estava o pastor RR Soares, mudei de canal e estava lá a Tekpix (a câmera/filmadora).

Por que o RR Soares não faz a propaganda da Tekpix, já que os dois produtos são onipresentes em vários canais? Não seria uma boa? Isso livraria a gente de ter que perder um canal de tv.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

domingo, 2 de dezembro de 2007

São Paulo FC - Bicampeão 2006/07


O tricolaço do Morumtri venceu mais um campeonato nacional e já somos o maior campeão brasileiro.

Parabéns tricolores fluminenses, santistas, flamenguistas e cruzeirenses, nos veremos na Libertadores 2008. Que vença o melhor.

Grêmio...quase hein? É a pior posição de tabela que tem. Pior pra quem está lá em cima.
Suinos verdes... que papelão... vendam o parque Antártica e joguem no Pacaembu... vcs são muito cagados pra jogarem na casa de vocês....

Galinhas mineiras pretas, foguinho, vasquinho, interzinho, atlétiquinho, figueirinha, sportinho, náuticuzinho, meros coadjuvantes, futebol feio e fraquinho... o Botafogo até pensei que seria a ameaça/supresa do ano mas acabou o gás deles... pena.

Juventude, Paraná e América.... vão se ferrar... tem que tomar na cabeça mesmo. Times medíocres.

Esse campeonato me deu três alegrias...o primeiro natural e óbvio o bicampeonato do tricolaço, o segundo foi a volta da Lusinha, a Portuguesa para primeira divisão, e a terceira alegria... ah a terceira alegria.....


Curintia na segundona o ano que vem...... hahahahahahahahahhaaha.. infinitos hahahahaa....
Que delícia... Hoje o sadismo está a toda... chupa curintianada... chupa mesmo... vão jogar lá na roça o ano que vem... Grande clássico ano que vem: Curintia e Bahia... o único jogo que vai prestar...vão jogar nas terças e sextas...a Rede TV! , se a Globo deixar, vai faturar o ano que vem. Chupa .... chupa muito... até o final do ano que vem seus galinhas bordadas.

Abaixo um vídeo do Tricolaço 5 x 1 no curintia em 2005 no Pacaembu, com os galinhas bordadas chorando na grade.... não paro de rir...



E outro de um torcedor lá em Tóquio depois de termos ganho do Liverpool. É outro vídeo que dou muitas gargalhadas...



paga um pááááááááu... vão jogar lá na roça, ficar fazendo tour pelo interior e nós vamos fazer tour pela América...

sábado, 1 de dezembro de 2007

Estava fuçando na blogsfera tupiniquim e achei uma brincadeira legal que o pessoal do Treta fez com várias bandeiras estaduais.



Uma vez eu tinha ouvido falar sobre o significado da bandeira de São Paulo, então resolvi fazer buscas e pesquisar mais sobre isso. Entonces, vamlá...


Em 16 de julho de 1888, Júlio Ribeiro, fundador do jornal "O Rebate", que fazia campanha pela República, lançou nas páginas de seu periódico a proposta de criação da bandeira de São Paulo. Ela foi descrita assim: "(a bandeira) simboliza de modo perfeito a gênese do povo brasileiro, as três raças de que ela se compõe - branca, preta e vermelha. As quatro estrelas a rodear um globo, em que se vê o perfil geográfico do país, representam o Cruzeiro do Sul, a constelação indicadora da nossa latitude astral ... Assim, pois, erga-se firme, palpite glorioso o Alvo-Negro Pendão do Cruzeiro!!!"A adoção da bandeira como símbolo dos paulistas tomou força apenas às vésperas do Movimento Constitucionalista de 32. Mas, Getúlio Vargas, durante o Estado Novo, suspendeu o uso dos símbolos nacionais, incluindo a bandeira paulista, que só seria oficializada em 27 de novembro de 1946, sob o Decreto-lei 16.349 da Constituição Federal, que devolve aos Estados e municípios o direito de cultivar símbolos próprios.

Outra descrição da bandeira é dada assim:

"A bandeira de São Paulo significa que "noite e dia" (campo burelado de preto e branco) o nosso povo está pronto a verter o seu sangue (cantão vermelho) em defesa do Brasil (círculo e silhueta geográfica) nos quatro pontos cardeais (estrela de ouro).

Quer ver o que o pessoal do Treta fez com a imagem da bandeira de seu estado? Aponte e clique aqui.





Ô, dó!